Faça você Mesmo – Smash the Cake

Perto do Nando completar 1 aninho, fiquei morrendo de vontade de fazer um Smash, mas estava economizando para a festinha de aniversário dele, então comprei umas coisinhas, chamei uma amiga que tinha uma câmera boa, e fizemos no pátio do prédio uma sessão de fotos.

Dica do bolo: Para as mamães sem muitas habilidades como eu (e também sem muito tempo), comprei um bolo inglês redondo, merengue pronto, confeitos e a vela.

Confere aqui:

 

SONY DSC

SONY DSC Continuar lendo

3 Idéias de Sanduíches para Crianças

Oi Gurias,

 

A hora das refeições podem ser um completo stress, mas podem ser divertidas com uma pitada de criatividade.

Monte um trem divertido com bisnaguinhas integrais!:

Conquistar a criança pela barriga pede um pouco mais que uma comida gostosa, alguns especialistas aconselham caprichar no prato, pois as crianças comem com os olhos, alimentos “baby” são um bom investimento, os tomates cereja, as mini batatas, mini cenouras. Inventar histórias pode ser uma boa tática (a hstória do aviãozinho da colher é uma das primeiras não é?).

E que tal sanduíches que tenham nome de personagens preferidos?

Vou dar 3 idéias para recheio de sanduíche, espero que tenham sucesso por aí:

Sanduíche dos Floogals

Continuar lendo

Divórcio com filhos, como lidar?

Vejo muito em grupos de mães, muitas questões sobre essse assunto, que sempre me chama atenção, pois sou filha de pais separados o que me fez muito empatica em relação atenção e avalanche de sentimentos que vivem os pequenos.

A psicologa Jacqueline Amorim, do blog Crescer Psicologia, e nossa colunista, fala um pouco desse assunto pra gente. Confere aqui:

Entre as muitas crises pessoais que um adulto pode passar na vida, o divórcio está entre as mais difíceis de serem enfrentadas. É mesmo muito doloroso. São inúmeras perdas significativas que o casal terá que se deparar, sendo um luto a ser elaborado. E é assim mesmo… Uma avalanche de emoções aparecerá, tornando cada dia um novo desafio a ser conquistado. É normal que nesse período surjam diversos sentimentos negativos, como raiva, frustração, mágoa, confusão, desprezo, desesperança, etc. Afinal, muitos sonhos foram interrompidos, não é mesmo?

No entanto, se a família possui filhos, é preciso respirar fundo e tentar deixar toda a mágoa de lado quando o assunto for o futuro dos pequenos. É mesmo muito difícil tomar decisões tão sérias, como a guarda dos filhos, quando se está tão abalado. Por isso, muita cautela nesse momento. Antes de resolver como será estipulada a guarda, as visitas, e a nova rotina da família, a primeira coisa a se fazer é ficar muito atento aos próprios sentimentos.

É isso mesmo. Antes de sair decidindo, é preciso parar e refletir. Isso porque, em meio a tanta dor, é muito fácil tomar atitudes impensadas, que em outros momentos jamais passaria pela cabeça.

Quando alguém sofre, Continuar lendo

Coisas do dia a dia de mãe

Gente, tem coisas que fazem do meu dia a dia de mãe, e não abro mão, facilitam a minha vida, e dão conforto aos meus pequenos. Mas claro, cada um se adapta melhor com um produto, ou uma coisa diferente, mas as vezes a gente ainda não tentou algo diferente 😉

 

1 – Mamadeira First Bottle da MAM – auto esterelizavel

Usei com o Fernando e agora com a Olívia (ambos tomaram Leite materno e Leite Artificial) – acho super prática porque tu esteriliza ela mesma no micro, e é super fácil de lavar.

0000606_mam-anti-colic-self-sterilising-bottle-9oz-260ml-blue_1024x1024

2 – Poltrona de balanço e almofada de amamentação

Continuar lendo

A chegada de um irmãozinho – Dicas de adaptação

Quando me descobri grávida da Olívia, uma das primeiras preocupações foi como a vinda deste novo bebê afetaria o Fernando. Achava que a diferença de idade entre eles (1 ano e 10 meses) seria muito pequena, e o Fernando ainda dependeria muito de mim.IMG_0796

Enfim, o que não tem remédio, remediado está, então o que eu podia fazer era conversar com outras mães que tiveram essa diferença de idade entre os filhos e me encher de dicas para adaptação do Fernando com a irmã.

Antes do bebê nascer – 

  1. Converse bastante com seu filho, falando que tem um irmãozinho chegando, que vai ser um amigão, que está na barriga da mamãe. Dependendo da idade eles não tem muito entendimento, mas você de um jeito carinhoso vai introduzindo o assunto.
  2. Quando assistir filmes e desenhos infantis com ele, enfatize a relação dos personagens que tem irmãos. Livros sobre a chegada de um irmão também ajudam, tudo que familiarize o primogênito com esse novo mundo é bem vindo.
  3. Mostre e envolva o pequeno na preparação das coisas para chegada do irmão mais novo, seja as roupas, o quarto, a decoração. Dependendo da idade, a criança já pode até ajudar em algumas coisas e vai se sentir parte do projeto “família aumentando”
  4. Providencie um presente para que o irmão caçula “traga” para o irmão mais velho. Aqui em casa foram os bonecos do Backyardgans que o Fernando é apaixonado.

Continuar lendo

Bronquiolite Viral – Dicas de limpeza nasal

Oi gurias,

A Olívia foi diagnosticada com Bronquiolite viral depois de alguns dias de tosse. Pobrezinha, apenas 3 meses e já no cof cof enlouquecedor. A pediatra me tranquilizou dizendo que no caso dela, a bronquiolite era leve, e com alguns cuidados passaria, depois de um ciclo de aproximadamente 3 semanas. Aqui em casa o problema maior é que o Fernando já vai na escolinha, e querendo ou não traz vírus para casa.

A bronquiolite é uma inflamação nos bronquíolos, que são pequenas vias aéreas do pulmão, e pode ser provocado por diversos vírus, entre eles: sincicial respiratório (VSR), o rinovírus (do resfriado comum), o adenovírus, o influenza (da gripe) .

Fonte: fisiomaternoinfantil.wordpress.com

Os sintomas mais comuns são: tosse intensa; febre baixa; irritabilidade; diminuição do apetite; taquicardia (freqüência cardíaca acima do normal); freqüência respiratória superior a 60, vômito ( em crianças pequenas); dor de ouvido (nas crianças); conjuntivite (olhos avermelhados); batimento da asa do nariz (abrindo e fechando) que ocorre em situações de dificuldade respiratória e cianose ( coloração azulada da pele que costuma aparecer em torno da boca e na ponta dos dedos). Continuar lendo

Bebês X Gatos

Oi Gurias,

À pedidos vim escrever sobre meus filhos bichanos, Fredy e Igor, que estão conosco há quase 6 anos, e a vida com eles grávida, e mãe de dois.

Eu sempre tive bichos desde que me conheço por gente, gato, cachorro, coelho, periquito, tartaruga, hamster…enfim… Antes de casar, quando ainda morava com meu pai e meus irmãos, tinha o Will, um yorkshire da minha irma, eu achava ótimo ter o bichinho só pra dar carinho, e o trabalho pesado (vacinação, passeios e banhos), ser responsabilidade da mana, hehehhe.

Por que gatos?

180415_494263656794_4153737_nQuando eu e o Marcos casamos, ficamos cuidando da gatinha da minha cunhada por 2 semanas, e amamos, ai decidimos adotar um gato, ou melhor, 2, para que um fizesse companhia pra outro. Uma das questões que nos fez Continuar lendo

10 idéias para organizar os brinquedos dos filhos

Oi gurias,

Se temos uma dor de cabeça como mães, é montar o quebra-cabeça que é arrumar os brinquedos dos filhos. Tá certo que quando ELES aprenderem a guardar fica tudo mais fácil, ma dar uma mãozinha, criando um espaço para cada coisa é essencial.

Trouxe 9 idéias do Pinterest e 1 exclusiva minha 😛 , que eu já havia postado há um tempona fanpage.

Espero que gostem:

 

1 – Baldes Unidos = Super prateleira

36-bucket-storage Continuar lendo

Qual é a diferença de idade ideal entre os filhos?

IMG_0799

Foto: Jennifer Inda

A chegada de um segundo filho é um mudança gigantesca na vida do irmão mais velho, ele deixa de ter atenção exclusiva, para dividir tudo com o novo membro da família.

Aqui em casa estamos lidando com a sensibilidade, carência e ciúmes do Fernando, que ganhou uma irmã quando estava com 1 ano e 10 meses. Quando a maninha está no carrinho ou na cadeirinha, ele fica bem e fala da maninha sorrindo, mas quando ela está no meu colo ou no colo do pai, aí a cara fecha, fica entristecida, e tudo, mas tudo mesmo é motivo para choro. Tenho segurança (e fé) que é só uma fase.

Eu tinha na minha cabeça que a diferença de 3 anos seria ideal, pois o mais velho já falaria e não usaria mais fraldas, mas ainda teriam uma diferença pequena de idade para brincarem juntos. Mas enfim, Olívia se adiantou e hoje lido com uma diferença de menos de 2 anos, com 2 que ainda usam fralda, 1 que se comunica mais ou menos, e outra que mama e chora. Além disso havia parado de trabalhar quando o Fernando nasceu e acabei nem voltando ao mercado de trabalho antes de ter o segundo filho como havia planejado, mas vi a vantagem de ter um tempo na vida reservado para estes primeiros anos dos filhos, para então voltar a trabalhar com eles não tão bebês. Continuar lendo